Apesar do investimento em acessibilidade na 61ª Feira do Livro, a venda de publicações em braile ainda é escassa. Estudantes com deficiência visual da Escola Professor Olenca Valente, de Gravataí, visitaram a feira, mas encontrar livros que pudessem ler não foi fácil.
“Eu acho muito importante ter livros em braile para a educação dos alunos para eles aprenderem e estarem inseridos nessa questão da leitura. Ler é importante para tudo, pois é a partir daí que eles começam a desenvolver toda sua aprendizagem”, destacou a monitora de educação inclusiva Daniele Ribeiro.

Confira a reportagem da HUBNews:

Topo