O segundo dia do 2º Simpósio Nacional de Rádio, que ocorreu entre os dias 4 e 5 de novembro na ESPM-SUL, foi aberto com a mesa composta por Nair Prata, Luciano Maluly e Valci Zuculoto, em que o assunto principal era: “O novo profissional de rádio: desafios da formação”. A palestra contou com a mediação de Luciano Klöeckner, professor da PUCRS.
Luciano Maluly, professor de jornalismo da USP, iniciou o seu painel apresentando os desafios do jornalismo relacionados à academia e o mercado, pois, segundo ele, nem sempre o que é ensinado aos alunos nas universidades é feito da mesma maneira no mercado de trabalho. Além disso, ele ressalta que é preciso formar pessoas capazes de, no mínimo, saber produzir notícias, ao invés de só repeti-las. Maluly ainda destacou as principais características que um profissional de rádio deve ter: criatividade, técnica e cobertura – características essas que devem andar juntas. Ainda, ele concluiu salientando que curiosidade, autonomia e engajamento devem ser despertados não somente nos alunos, mas também nos profissionais da área jornalística, principalmente quando se trata de rádio.

Logo depois de Maluly, Valci Zucoloto, professora da UFSC, começou sua fala em cima de uma consideração de Kaplun, em que diz: “rádio não deve ser considerado apenas como um veículo, e sim como um meio”. No seu painel, ela declarou um novo cenário do rádio, em que reinventado, ele expande os mercados e espaços para a atuação profissional. Um bom exemplo disso é o crescimento das webemissoras de rádio. Valci ainda destacou a contribuição que as rádios públicas, universitárias e web têm com o mercado. Fora isso, a professora ainda contou que é necessária uma adequação nas diretrizes curriculares do curso de jornalismo.

Já Nair Prata, que é professora da UFOP e coordenadora do Grupo de Pesquisa em Rádio e Mídia Sonora na Intercom, apresentou como está a situação atual da pesquisa em rádio no Brasil. Ela informou que os grupos de pesquisa em rádio pela Intercom foram criados em 1991, e em 23 anos, o grupo já teve a produção de 589 artigos e 297 autores diferentes.  Nair ainda ressalta que o Grupo de Pesquisa em Rádio e Mídia Sonora é marcado por pesquisas coletivas, e se orgulha ao mostrar que as pesquisas coletivas já renderam 18 livros.

A palestra que contou com vários pontos de vista dos jornalistas e professores Nair Prata, Valci Zucoloto e Luciano Maluly, encerrou com a abertura de perguntas ao público, que foram mediadas por Luciano Klöeckner.

Confira a reportagem da HubNews
Topo