O 2º Simpósio Nacional de Rádio tratou de diversos temas, entre eles o jornalismo esportivo. Para falar mais sobre o assunto, os convidados foram Luciano Maluly e Patrícia Rangel.

Os palestrantes iniciaram falando que jornalismo esportivo não é só futebol, apesar de esse ser o esporte mais popular no Brasil. Citaram também os benefícios do desporto, que são amizade, respeito, saúde e excelência. Por meio do esporte são feitas amizades, se aprende a respeito o outro, a saúde melhora e o esportista busca sempre atingir a excelência, procura melhorar seu próprio desempenho.
Segundo Maluly, o esporte no Brasil está dividido em quatro categorias de cobertura: futebol, esportes midiáticos, demais modalidades e atividades físicas e esportivas. Vários outros esportes são transmitidos, como Fórmula 1, tênis, Stock Car e boxe. Porém, atrai atenção do público é o futebol, com 75% das coberturas.
Patrícia Rangel falou da década de ouro do esporte no Brasil. Nos anos 70 e 80, a rádio evoluiu de acordo com a seleção brasileira de futebol. “A decadência da rádio veio com a popularização da televisão e a modernização das transmissões de TV e com a proibição de rádios portáteis em estádio de futebol”, salienta.
Luciano e Patrícia comentaram outro ponto. Eles defendem que as rádios têm que dar mais espaço aos outros esportes, não somente ao futebol. Além disso, comentaram que, atualmente, só um meio de comunicação não é suficiente na cobertura de algum evento. Hoje os internautas buscam a cobertura multiplataforma, com conteúdo interativo.
Topo