Entre passos apressados e olhares desconfiados, a expressão “This is not America” atrai a atenção de quem passa pela movimentada Rua dos Andradas no centro de Porto Alegre. Grifada em um painel de LED, exposto na fachada do Centro Cultural CEEE – Érico Veríssimo, a frase compõe uma das únicas obras externas da 10º Bienal do Mercosul. Ao todo, são 646 peças distribuídas em oito espaços culturais da capital. 

Criada em 1987 pelo artista chileno Alfredo Jaar, a obra A Logo for América foi exposta originalmente na Time Square, um dos lugares mais movimentados de Nova York, e pela primeira vez está exposta na América do Sul. A expressão que em tradução livre significa ‘isso não é América’, alinha-se à proposta da edição 2015 da exposição. Intitulada "Mensagens de uma Nova América", a 10ª Bienal retoma sua vocação histórica ao priorizar novamente a arte produzida nos países da América Latina.

Segundo o estudante de literatura Mateus Homercher e um dos mediadores do Centro Cultural CEEE, a 10º Bienal busca inspiração na primeira edição da mostra, realizada em 1997, quando o curador da época Frederico Morais propôs uma revisão sobre a arte latino-americana. Sobre a peça exposta na fachada do centro cultural, o estudante explica que é intenção da obra explorar o caráter político da expressão This is not America. “A obra foi concebida justamente para discutir essa noção de que a América é uma construção estritamente ficcional e que não diz respeito exclusivamente aos Estados Unidos e à América do Norte”, destacou o mediador.

A Bienal segue até 6 de dezembro, com entrada gratuita. Em todos os locais, há mediadores circulando pelos espaços para auxiliar na experiência artística. 


Por Vinícios Sparremberger
Topo