Discriminação, violência sexual, física e psicológica são situações comuns na vida de travestis e transexuais no Brasil. Segundo a ONG Trangender Europe, o país é o que mais mata essa população em todo o mundo. O que faz com que essas pessoas acabam vivendo em uma situação de extrema vulnerabilidade social. O quadro fica ainda mais grave dentro do Sistema Carcerário, pois além da reprodução das violências que sofrem em liberdade as travestis e transexuais sofrem com a falta do controle estatal nas galerias, a superlotação e a tortura. Estupros, espancamentos e a necessidade de esconderem sua identidade de gênero nesses espaços se tornam rotina.
Com o objetivo de garantir condições mínimas de dignidade e a integridade física de travestis e transexuais vêm sendo implementadas alas LGBT nas penitenciárias. O Presídio Central de Porto Alegre, considerado uma das piores casas prisionais do país pela CPI do Sistema Carcerário, adota essa política desde 2012.
O documentário ‘3ªdoH - Travestilidade em Privação de Liberdade’ busca dar visibilidade as vozes das travestis e transexuais encarceradas no Presídio Central na terceira galeria do pavilhão H. A partir do relato de cinco detentas busca se compreender suas histórias, suas relações com os outros detentos e os agentes penitenciários, além de refletir sobre a importância da criação de uma ala específica para essa população.


Ficha técnica: 

3ªdoH - Travestilidade e Privação de Liberdade
Trabalho desenvolvido para a cadeira de Produção e Edição de TV I
Imagens: Greg Khun
Repórteres: Matheus Pandolfo e Lauren Graef
Roteiro e edição: Matheus Pandolfo
Finalização: Wagner Ribeiro
Orientação: Karine Moura Vieira





Topo