A noite fria de sábado, em Porto Alegre não foi um problema para os mais de 12 mil torcedores que compareceram ao Beira Rio para o Gigante Bowl, - final do Campeonato Gaúcho de Futebol Americano, organizado pelo Sport Clube Internacional. O Santa Maria Soldiers venceu o Juventude FA, de Caxias do Sul, por 21 a 3 em uma partida que teve público recorde no campeonato e no Rio Grande do Sul.

O Juventude FA, , campeão em 2015, foi a equipe com melhor campanha no torneio desse ano e chegou ao Gigante Bowl como favorito ao título. Já a equipe do Santa Maria Soldiers, que já havia se consagrado campeão em 2011 e em 2013, teve uma longa viagem até Porto Alegre e não queria voltar para casa derrotada.

A partida foi bastante disputada e cheia de faltas. A equipe de Santa Maria estava bem preparada, e soube anular os caxienses. Com três touchdowns marcados e três extra points convertidos, o Soldiers venceu com uma grande diferença de 18 pontos e, com isso, tornou-se a primeira equipe campeã do Gigante Bowl. “É indescritível a sensação que estou sentindo, só nós sabemos as dificuldades que passamos. Às vezes não tínhamos lugar pra treinar e a falta de visibilidade do esporte dificultava muita coisa. Ganhar hoje, aqui no Beira Rio, é a realização de um sonho, é indescritível”, disse Gustavo Petter, head coach do Santa Maria Soldiers.

Pelo sucesso de público e de divulgação do evento, a organização já estuda uma nova edição no próximo ano.. “Após o evento, nós iremos sentar para conversar e analisar os resultados. Mas, pelo que vimos hoje, existe sim a chance de ter o Gigante Bowl em 2017, é isso que nós queremos”, disse o vice-presidente de administração do Internacional, Alexandre Limeira.

Além da partida, o público presente teve outros motivos para comparecer ao Gigante Bowl. Durante o pré-jogo, os torcedores se animaram com shows da banda gaúcha Tchê Barbaridade, de Renato Borghetti e Cristina Sorrentino, da Banda Marcial Juliana e, também, com Kátia Aveiro, cantora portuguesa e irmã do craque Cristiano Ronaldo.,. O DJ Finna comandou a música durante todo o evento. Mas, a atração principal foi a Banda Papas da Língua, que tocou durante o intervalo. “É uma grande satisfação estar aqui hoje e me apresentar nesse grande evento, ainda mais sendo no estádio do meu clube do coração”, disse o vocalista Sérgio Moah que ainda está aprendendo sobre o Futebol Americano: “meu filho às vezes me faz assistir com ele, até acho legal, mas não entendo nada”.

O Gigante Bowl não foi apenas um jogo para decidir o campeão gaúcho. Esse evento serviu para unir e inspirar todos os amantes e admiradores do Futebol Americano no Rio Grande do Sul, pois a luta e a vontade de diversas equipes do estado para jogar um esporte que ainda tem pouco espaço e visibilidade no Brasil é muito grande.

“Foi um evento que superou as expectativas e, com certeza, fez história no Futebol Americano nacional. Tudo foi preparado com uma qualidade e um carinho muito grande, pois todos os aspectos do Super Bowl foram utilizados, os shows, a entrada dos jogadores, o gramado e a torcida, claro que tudo isso foi feito com uma quantidade inferior de dinheiro. Mas, a organização conseguiu realizar tudo que prometeu”, falou Renan Jardim, jornalista da Rádio Gaúcha e um dos maiores apoiadores do esporte no Rio Grande do Sul.

Glossário:

Touchdown: quando uma das equipes ultrapassa a end zone e marca seis pontos.
End Zone: são as últimas dez jardas de cada lado do campo.
Head Coach: é o técnico principal de cada equipe.
Extra Point: é o chute dado após uma equipe fazer um touchdown, ele vale um ponto.

Confira a Galeria de fotos:



Confira o vídeo do Gigante Bowl:

 
Topo