O jornalista Luiz Antônio Araujo falou sobre a crise econômica que atinge a Ucrânia e de sua vivência em Kiev.  A palestra contou com a presença da ex-aluna de Relações Internacionais Desirée Brandão da Silva que defendeu em seu TCC um trabalho sobre o país. A conversa foi realizada para os alunos do curso de Relações Internacionais no auditório II da ESPM-SUL,  na noite de quarta-feira 26 de março.

Araujo foi enviado pela Zero Hora para Kiev no dia 1º de março de 2014 para cobrir o que estava acontecendo no país do leste europeu. Ele relacionou a crise atual com problemas que vem desde o século XIX. No período, o sentimento de nacionalismo foi crescendo cada vez mais. Esse sentimento é algo complexo que envolve o enfrentamento com os vizinhos e uma relação forjada. Hoje, a relação é um pouco melhor, no entanto para muitos, as mortes que ocorreram em 2013 foram culpa do presidente russo Putin. “Hoje, a Rússia é um capitalismo de máfia” criticou.

O palestrante mostrou vídeos da reportagem que fez enquanto esteve no país e mostrou os manifestantes fazendo comício gritando contra Putin e  pela independência, pela glória e pela continuidade da liberdade na Ucrânia. “No dia 22 de fevereiro ocorreu a queda de Yanukovich, presidente na época, que aí eu considero revolução” enfatizou. Ele ainda contou que os manifestantes colocavam flores como símbolos e velas por onde havia ocorrido o confronto entre a população e os policiais.

A estudante Desirée comentou que tudo está ligado a questões históricas. Para ela, o movimento na Ucrânia vem forte pela parte de jovens os quais lutam por mudanças e a fim de viver outra realidade já que a atual não é boa para eles e nem para o futuro do país. “Todos governos foram corruptos por isso a população procura novos representantes para dar uma cara nova ao país” enfatizou. Desirée ainda relatou que o leste do país não vê o lado russo como ameaça, porém, o lado oeste vê o lado russo como uma ameaça.

A ex-aluna ainda relatou que as relações com a Rússia pioraram ainda mais quando os russos cortaram o fornecimento de gás natural para os ucranianos. A interrupção afetou também outros países europeus e fez com que a União Europeia tivesse que intervir.

Ao final da palestra foi aberto um espaço para perguntas. Para aluna Mariá D’Altoé a palestra foi muito esclarecedora. “Pela palestra pude perceber que é algo que envolve todo um contexto histórico e foi uma palestra bem imparcial e que a gente agora vai poder com base nas aulas, com o curso que a gente faz e do que se vê na mídia construir uma posição e formar uma opinião de internacionalista” declarou.

Escrito por João Vítor Pereira (1º Semestre)  

Topo